Tag Archives: Social Media

Um breve resumo da história da Social Media – Infográfico

17 ago

Este infográfico realizado pela Morrison & Foester lançam um olhar sobre a história dos meios de comunicação social desde 1970 até os dias de hoje.

Faltou incluírem o Google + recém lançado!

Junte o botão de Like com o +1 do Google

11 abr

Recentemente o Google lançou o Plus One (+1), um botão colocado nos resultados de busca do site, que funcionaria similarmente ao Like do Facebook. Este lançamento do Google inevitavelmente foi encarado como uma competição com o Facebook e a tentativa de conseguir de vez seu espaço no mundo Social Media, já que a algum tempo atrás não teve muito êxito com Goole Wave, Google Buzz. Porém tanto o +1 quanto o Like ajudam os usuários a compartilhar suas preferências e websites interessantes à sua rede de contatos assim como acaba interferindo também na forma de rankeamento dos resultados do Google, ajudando a entender o que é mais relevante de tudo que estão buscando.

Então por que não juntar as 2 coisas? Com uma extensão chamada  Google +Like, você consegue visualizar nos resultados de busca tanto o botão do +1 quanto o botão de Like, assim todos os seus sites e preferências serão compartilhados com seus amigos da rede de contatos do Google e do Facebook. Até porque sabemos que o +1 ainda está em fase de testes e para visualizar este botão na busca, é necessário ativar o serviço previamente(veja como aqui) e utilizar o google.com in english.

Bom, já instalei e estou usando, realmente a experiência se torna bem interessante ao ponto que deixa tudo integrado! Vamos ver se a extensão vai se espalhar por aí!

Fonte: TNW

A evolução da Privacidade no Facebook

16 maio

A onda da vez é questionar o Facebook a respeito da privacidade da rede. No entanto, o Facebook não conseguiu sempre os dados de seus usuários facilmente. No começo, ele restringiu a visibilidade das informações pessoais do usuário a apenas seus amigos e sua rede . Ao longo dos últimos anos, as configurações padrão de privacidade para obter informações pessoais de um usuário do Facebook têm se tornado cada vez mais permissivas. Eles também mudaram a forma como suas informações pessoais são classificadas por diversas vezes, às vezes de uma forma que tem sido confusa para os seus usuários.  Os gráficos abaixo foram realizado por Matt McKeon e mostram sua visão sobre a questão da privacidade da rede ao longo dos anos, a qual devemos estar atentos e alterar as configurações para uma forma em que nos sintamos mais confortáveis.

Fonte: http://mattmckeon.com/facebook-privacy/

Cinco Passos para a marcas de consumo ganharem a moeda social

12 maio

As grandes marcas de consumo ainda têm muito a aprender com o uso das Mídias Sociais.

Até mesmo marcas como Starbucks e AXE, consideradas cases no mundo das mídias sociais devido a seus milhares de fãs e seguidores, enfrentam problemas.

A questão é que as empresas acumulam uma coleção de fãs no Facebook, seguidores no Twitter, e deixam de se perguntar: O que estamos fazendo com eles? “Há uma grande quantidade de esforço desperdiçado na mídia social”, diz Erich Joachimsthaler, diretor-gerente Vivaldi Partners, uma consultoria de marcas internacionais.

A Vivaldi foi responsável por uma pesquisa com 60 empresas para demonstrar o que os consumidores julgam como mais valioso nas relações com as marcas nas mídias sociais . Os resultados revelam alguns insights surpreendentes sobre os limites dos meios de comunicação social. Seguem abaixo algumas considerações importantes:

1- Advogados de marca x seguidores

A Dunkin ‘Donuts tem 80% menos fãs no Facebook e seguidores no Twitter do que a Starbucks. Porém os fãs da Dunkin ‘Donuts são 35% mais propensos a recomendar a marca, de acordo com o estudo. A questão é o envolvimento das pessoas com a marca.

2-Contexto

Falando em  consumidores de cerveja por exemplo. Inovações de produto e embalagem não ajudam a criar relevância na vida diária esse consumidor. O importante é a ligação ou o “contexto social” durante o consumo.

3- Nem todas as marcas devem ser sociais

Marcas como a Gillete possuem grande lealdade: 96% dos inquiridos no estudo Vivaldi atribuem à marca boa qualidade e confiabilidade. Então, o que mais há para dizer?A conversa pode levar a uma discussão dos aspectos negativos, tais como preços e produtos alternativos e de marcas.

4. Ferramentas sociais são um meio e não um fim

A temáticas nas propagandas da Axe a respeito de utilizar o produto como ajuda na conquista feminina não passa de uma brincadeira. Raramente alguém daria um depoimento dizendo que o desodorante o ajudou na conquista. Em contrapartida marcas como a Clinique investem em vídeos com tutoriais de maquiagem. “Educar e capacitar os usuários é parte de nosso processo”, diz Emily Culp, VP da Clinique

Fonte: Woweffect e Fast Company

Infográfico: o atual estado da Internet

9 maio

Este é  um infográfico que mostra informações demográficas sobre a maioria que está na Internet hoje.

Aqui vamos dar uma olhada em como as pessoas estão usando a Internet e o  quanto a quantidade de uso é crescente. Em resumo, podemos ver que há o mesmo número de homens e mulheres que usam a Internet. No entanto, sua idade, escolaridade e nível de renda podem influenciar quanto tempo gastam online.

Clique para aumentar a imagem.

Fonte: Cool Infographics

Facebook lança relatório com resultados de pesquisa da Nielsen a respeito de seus anúncios

21 abr

O Facebook juntamente com a Nielsen lançou essa semana um relatório chamado  “Advertising Effectiveness: Understanding the Value of a Social Media Impression”.

Ambas as empresas querem responder à necessidade de orientação quando se trata de medir o valor de publicidade em mídia social, dúvida de inúmeros profissionais de marketing.

O relatório conjunto apresenta alguns primeiros resultados de uma análise dos dados da pesquisa com mais de 800.000 usuários do Facebook e como eles responderam a mais de 125 campanhas de publicidade (de 70 anunciantes de marca), no rei das redes sociais.

A Nielsen avaliou o valor da campanha publicitária nas Mídias Sociais, neste caso os anúncios no Facebook, usando as tradicionais referências de marca: Recall (lembrança de marca), Brand Awareness (Reconhecimento da marca) e Purchase Intent (Intenção de compra).

Foram três os tipos de anúncios do Facebook, avaliados pela Nielsen, conforme abaixo:

Em seguida, Nielsen comparou os três tipos de anúncios utilizando os critérios de referência de marca mencionados acima, analisando o efeito da combinação de alguns desses anúncios:


Através destes gráficos podemos entender que os Anúncios Orgânicos e Anúncios com o Contexto Social são mais eficazes em geral, reforçando a tese de que as recomendações de colegas são mais eficazes que outras formas de anúncios.

O boca-a-boca, peer-to-peer, conselhos, recomendações e defesa da marca desempenham um papel importante no marketing de mídia social.

Como a Nielsen escreve: “Estudo após estudo mostrou que os consumidores confiam em seus amigos e colegas mais do que ninguém quando se trata de fazer uma decisão de compra”.

Há uma diferença entre a Mídia que é paga e a Mídia que é gerada espontaneamente pelos usuários. Essa última que é a mais importante não pode ser comprada mas sim conquistada pelo engajamento do usuário e as conexões entre os usuários e as marcas.

Para ter acesso ao Relatório completo da Nielsen, acesse aqui

Fonte: Social Email Marketing e Penn-Olson




Next, Nielsen started comparing the three types of ads from the viewpoint of the above mentioned branding-related benchmarks, analyzed the effect of the combining some of these ads and also looked at other effects such as engagement (see below).

This resulted in findings such as this one:

A essência das Mídias Sociais

21 abr

Vou reproduzir aqui um texto que postei anteriormente no Blog Inovadores ESPM, a respeito do básico e do importante sobre as Mídias Sociais:

Atualmente  Mídias Sociais e Redes Sociais são termos que estão sendo muito explorados. Levante a mão quem ainda não ouviu falar deles.  São vários os motivos para acreditarmos que não é apenas uma onda passageira, mas sim uma tendência a ser estudada.

Como diz Hugh Heiwitt em seu livro “Blog- Entendendo a Revolução que vai mudar seu mundo”, Seres humanos são criaturas de hábitos, porém há a necessidade interna de mudar de de hábitos de tempos em tempos e as pessoas estão mudando de hábitos no que diz respeito à obtenção da informação. Claro isso já aconteceu e não tem volta. Desde a invenção da prensa de Gutemberg , considerado um grande marco para a democratização da informação, as pessoas se organizaram de forma a transmitir e compartilhar as informações, daí o surgimento das Redes Sociais.

Com o advento da Internet, a organização destas Redes Sociais em ambientes virtuais permitiu uma rapidez e amplitude de divulgação das idéias.

De acordo com a Wikipedia:

As “ferramentas de mídias sociais” são sistemas online projetados para permitir a interação social a partir do compartilhamento e da criação colaborativa de informação nos mais diversos formatos. Eles possibilitaram a publicação de conteúdos por qualquer pessoa, baixando a praticamente zero o custo de produção e distribuição ao longtail – antes esta atividade se restringia a grande grupos econômicos.

Ninguém tem tempo de entender tudo, precisamos confiar em intermediários, de acordo com Hugh Heiwitt.

James Surowiecki, em seu livro : A Sabedoria das Multidões cita sua teoria de que grandes grupos agem de forma mais inteligente que especialistas. ” Sob as circunstâncias corretas, os grupos são notavelmente mais inteligentes e, frequentemente, mais espertos do que as pessoas mais espertas que os integram”

Em cima dessas máximas, temos a confirmação de porque as Mídias Sociais fazem tanto sucesso atualmente.

De acordo com Interney, Meios Sociais podem ser:

  • Canais autorais como Blogs, Fotologs e Videologs
  • Canais de Discussão como Fóruns, Listas e Grupos
  • Sites de amizade
  • Sites de compartilhamento de arquivos
  • Sites de construção colaborativa como wikis
  • Um misto de diversas formas acima

O uso das Mídias Sociais também vem sendo percebido como oportunidade pelas empresas para criar uma proximidade com seu público, estreitar relacionamento e monitorar comentários sobre determinada marca ou produto.

O conhecimento flui através das redes que funcionam como fios condutores aproximando ofertas e demandas.  – Para que isso ocorra com  com a maior intensidade possível é necessária a existência de um ambiente que proporcione o estabelecimento de laços de confiança e reciprocidade entre as pessoas. Citação retirada do livro Redes Sociais – Como empresários e executivos de vanguarda as utilizam para obtenção de resultados.

Com isso novas profissões surgiram no mercado como Analistas e Gerentes de Mídias Sociais .

Muito se aposta para saber até quando durará o fervor das Mídias Sociais. Mas o mais importante agora é saber que elas fazem parte de um intenso processo de mudança na forma como todos obtemos e compartilhamos as informações e saber tirar o melhor proveito disso.

Para você que se interessa por este assunto e gosta de estar antenado com tudo o que acontece a respeito, haverá em junho aqui em São Paulo o Social Media Brasil, o principal evento de mídias sociais brasileiro. Grandes nomes internacionais e nacionais estão confirmados para palestrarem nos 2 dias de evento. Dá um look:

Imperdível não é? Haverá muita troca de conhecimento e networking, disso eu tenho certeza!

As inscrições já estão abertas e é melhor correr pois é um evento super disputado! Inscreva-se 😉