Tag Archives: mídias sociais

Um breve resumo da história da Social Media – Infográfico

17 ago

Este infográfico realizado pela Morrison & Foester lançam um olhar sobre a história dos meios de comunicação social desde 1970 até os dias de hoje.

Faltou incluírem o Google + recém lançado!

Coca-Cola e os consumidores nas Mídias Sociais

13 jun

Falando em Mídias Sociais, não podemos deixar de citar a marca Coca-Cola que investe e dá valor aos feedbacks e comentários dos consumidores sobre seu produto nessas Redes.

Abaixo uma interessante apresentação sobre a relação entre a marca e os consumidores.

Mais uma apresentação para favoritar no Slideshare!

[Infográfico] – Dados sobre o Linkedin

27 maio

Mais um Infográfico! O número de usuários registrados no LinkedIn está chegando à marca dos 70 milhões . Talvez não chegue aos 400 milhões de usuários do Facebook, mas também é desnecessário, pois assim o Linkedin mantém-se  como uma Rede profissional.

O Linkedin ainda tem um enorme potencial de crescimento, especialmente para o mercado B2B que pode alavancar o Linkedin como uma plataforma de publicidade, ideal para chegar às pessoas que têm poder de compra e decisão.

A plataforma também tem lentamente tornado-se o “Google” para a busca de talentos ou habilitação, especialmente no setor de engenharia e finanças, onde a maioria dos usuários do LinkedIn está inserido

Fonte: Penn Olson

A evolução da Privacidade no Facebook

16 maio

A onda da vez é questionar o Facebook a respeito da privacidade da rede. No entanto, o Facebook não conseguiu sempre os dados de seus usuários facilmente. No começo, ele restringiu a visibilidade das informações pessoais do usuário a apenas seus amigos e sua rede . Ao longo dos últimos anos, as configurações padrão de privacidade para obter informações pessoais de um usuário do Facebook têm se tornado cada vez mais permissivas. Eles também mudaram a forma como suas informações pessoais são classificadas por diversas vezes, às vezes de uma forma que tem sido confusa para os seus usuários.  Os gráficos abaixo foram realizado por Matt McKeon e mostram sua visão sobre a questão da privacidade da rede ao longo dos anos, a qual devemos estar atentos e alterar as configurações para uma forma em que nos sintamos mais confortáveis.

Fonte: http://mattmckeon.com/facebook-privacy/

Cinco Passos para a marcas de consumo ganharem a moeda social

12 maio

As grandes marcas de consumo ainda têm muito a aprender com o uso das Mídias Sociais.

Até mesmo marcas como Starbucks e AXE, consideradas cases no mundo das mídias sociais devido a seus milhares de fãs e seguidores, enfrentam problemas.

A questão é que as empresas acumulam uma coleção de fãs no Facebook, seguidores no Twitter, e deixam de se perguntar: O que estamos fazendo com eles? “Há uma grande quantidade de esforço desperdiçado na mídia social”, diz Erich Joachimsthaler, diretor-gerente Vivaldi Partners, uma consultoria de marcas internacionais.

A Vivaldi foi responsável por uma pesquisa com 60 empresas para demonstrar o que os consumidores julgam como mais valioso nas relações com as marcas nas mídias sociais . Os resultados revelam alguns insights surpreendentes sobre os limites dos meios de comunicação social. Seguem abaixo algumas considerações importantes:

1- Advogados de marca x seguidores

A Dunkin ‘Donuts tem 80% menos fãs no Facebook e seguidores no Twitter do que a Starbucks. Porém os fãs da Dunkin ‘Donuts são 35% mais propensos a recomendar a marca, de acordo com o estudo. A questão é o envolvimento das pessoas com a marca.

2-Contexto

Falando em  consumidores de cerveja por exemplo. Inovações de produto e embalagem não ajudam a criar relevância na vida diária esse consumidor. O importante é a ligação ou o “contexto social” durante o consumo.

3- Nem todas as marcas devem ser sociais

Marcas como a Gillete possuem grande lealdade: 96% dos inquiridos no estudo Vivaldi atribuem à marca boa qualidade e confiabilidade. Então, o que mais há para dizer?A conversa pode levar a uma discussão dos aspectos negativos, tais como preços e produtos alternativos e de marcas.

4. Ferramentas sociais são um meio e não um fim

A temáticas nas propagandas da Axe a respeito de utilizar o produto como ajuda na conquista feminina não passa de uma brincadeira. Raramente alguém daria um depoimento dizendo que o desodorante o ajudou na conquista. Em contrapartida marcas como a Clinique investem em vídeos com tutoriais de maquiagem. “Educar e capacitar os usuários é parte de nosso processo”, diz Emily Culp, VP da Clinique

Fonte: Woweffect e Fast Company

Infográfico: o atual estado da Internet

9 maio

Este é  um infográfico que mostra informações demográficas sobre a maioria que está na Internet hoje.

Aqui vamos dar uma olhada em como as pessoas estão usando a Internet e o  quanto a quantidade de uso é crescente. Em resumo, podemos ver que há o mesmo número de homens e mulheres que usam a Internet. No entanto, sua idade, escolaridade e nível de renda podem influenciar quanto tempo gastam online.

Clique para aumentar a imagem.

Fonte: Cool Infographics

Facebook lança relatório com resultados de pesquisa da Nielsen a respeito de seus anúncios

21 abr

O Facebook juntamente com a Nielsen lançou essa semana um relatório chamado  “Advertising Effectiveness: Understanding the Value of a Social Media Impression”.

Ambas as empresas querem responder à necessidade de orientação quando se trata de medir o valor de publicidade em mídia social, dúvida de inúmeros profissionais de marketing.

O relatório conjunto apresenta alguns primeiros resultados de uma análise dos dados da pesquisa com mais de 800.000 usuários do Facebook e como eles responderam a mais de 125 campanhas de publicidade (de 70 anunciantes de marca), no rei das redes sociais.

A Nielsen avaliou o valor da campanha publicitária nas Mídias Sociais, neste caso os anúncios no Facebook, usando as tradicionais referências de marca: Recall (lembrança de marca), Brand Awareness (Reconhecimento da marca) e Purchase Intent (Intenção de compra).

Foram três os tipos de anúncios do Facebook, avaliados pela Nielsen, conforme abaixo:

Em seguida, Nielsen comparou os três tipos de anúncios utilizando os critérios de referência de marca mencionados acima, analisando o efeito da combinação de alguns desses anúncios:


Através destes gráficos podemos entender que os Anúncios Orgânicos e Anúncios com o Contexto Social são mais eficazes em geral, reforçando a tese de que as recomendações de colegas são mais eficazes que outras formas de anúncios.

O boca-a-boca, peer-to-peer, conselhos, recomendações e defesa da marca desempenham um papel importante no marketing de mídia social.

Como a Nielsen escreve: “Estudo após estudo mostrou que os consumidores confiam em seus amigos e colegas mais do que ninguém quando se trata de fazer uma decisão de compra”.

Há uma diferença entre a Mídia que é paga e a Mídia que é gerada espontaneamente pelos usuários. Essa última que é a mais importante não pode ser comprada mas sim conquistada pelo engajamento do usuário e as conexões entre os usuários e as marcas.

Para ter acesso ao Relatório completo da Nielsen, acesse aqui

Fonte: Social Email Marketing e Penn-Olson




Next, Nielsen started comparing the three types of ads from the viewpoint of the above mentioned branding-related benchmarks, analyzed the effect of the combining some of these ads and also looked at other effects such as engagement (see below).

This resulted in findings such as this one: